Vendi a minha casa. E agora, o que faço ao dinheiro que ganhei?

Carlos e Maria decidiram vender a sua casa.

Aproveitaram a recuperação notória do mercado imobiliário e venderam.

Ainda ponderaram esperar mais um pouco para ver se conseguiam fazer mais dinheiro, mas não conseguiram.

Aceitaram a penúltima proposta que receberam e lá foram eles rumo a uma vida nova e a uma casa nova.

Só que, no meio de tudo isto, nem sequer se deram conta de que iriam receber o dinheiro todo da casa, passados 2 dias, nas suas contas bancárias.

Quando se deram conta de que o valor da venda casa estava, na totalidade, na sua conta, ficaram de queixo caído e um pouco perdidos a pensar no que haveriam de fazer a tanto dinheiro.

Afinal de contas tinham conseguido vender a casa anterior por quase meio milhão de euros e queriam agora perceber o que é que podiam fazer ao dinheiro. Onde é que podiam aplicá-lo, sabendo eles que dinheiro parado é dinheiro que perde valor.

Procuraram-nos para que os ajudássemos a perceber qual seria o passo seguinte a dar, sendo que já tinham decidido que queriam mesmo vir viver para o Parque das Nações.

Tal como o Carlos e a Maria, foram muitas as pessoas que puseram a casa a venda e que, efetivamente, a venderam no último ano.

Passaram por nós várias pessoas nesta situação o que nos deixou perceber que houve, efetivamente, um aumento da procura de casas.

Mas vejamos…

O que dizem os números

Dados recentes publicados pelo semanário Expresso, apontam para perto de 180 mil casas vendidas em Portugal em 2018, tendo sido movimentados mais de 24 mil milhões de euros nos processos de venda das propriedades. Isto equivale a cerca de 65 milhões de euros/dia.

É caso para citar o Diário de Notícias que diz, e bem, que “O setor imobiliário fechou as portas à crise e deitou a chave fora.”

A banca abriu novamente os cordões à bolsa, mas é certo que este mercado é abastecido, na sua grande maioria, pelo investimento estrangeiro e pelo turismo, pode ler-se no Expresso (Edição de 30 de Março).

A situação é recorrente, sobretudo desde 2012, ano da criação dos vistos gold, que tornaram mais fácil a compra de casa em Portugal por parte de um cidadão estrangeiro.

Isto diz-nos também que, em 2018, em Portugal, a entrada de capital estrangeiro foi novamente uma constante, tendo França e Brasil assumido os lugares de maior destaque na proveniência dessas pessoas.

Luís Lima, presidente da APEMIP explica ao DN que brasileiros e, sobretudo, franceses continuam a ser os que mais procuram casa em Portugal e que oscidadãos destes países têm apostado um pouco por todo o país, notando-se verdadeiramente uma descentralização do investimento para fora das principais cidades.

Por outro lado, continua a haver uma manutenção das transações feitas por cidadãos britânicos, que preferem, tal como é tradicional, a região algarvia, como conta Luís Lima ao Diário de Notícias.

Os bancos emprestaram assim um montante que equivale a 40% do valor gasto em casas em 2018.

Isto é, por cada 100 mil euros gastos num imóvel, a banca emprestou 40 mil, segundo cálculos do Dinheiro Vivo/JN, baseados em dados do INE e do Banco de Portugal (BdP).

Alguns conselhos

Um dos primeiros conselhos que podemos dar é, possivelmente, o mais difícil de ser descortinado no meio de todo o processo – é importante perceber o destino que gostavam de dar ao dinheiro.

Pagar uma melhor educação para os filhos, comprar uma casa maior, fazer um plano de reforma, fazer um plano de viagens, tudo isto são possíveis destinos para uma parte do dinheiro que acaba de receber ou que recebe quando vende a sua casa. Importante é que se mentalize que não vale de nada guardá-lo debaixo do colchão.

Aconselhe-se no seu banco, com o seu gestor de conta.

Procure igualmente perceber junto de amigos próximos ou pessoas que conheça bem e que tenham passado pelo mesmo, como foi que elas resolveram investir o dinheiro da venda da casa. Nas histórias dos outros acabamos sempre por encontrar pontos de contacto sólidos e, regra geral, muito semelhantes aos nossos.

Se pensa em comprar uma nova casa, e escolheu a zona do Parque das Nações, entre em contacto connosco que teremos todo o gosto em poder ajudar a encontrar aquilo que procura.

Preços aumentaram 15,6% em 2018

Os preços das casas em Portugal registaram uma subida de 15,6% no espaço de um ano. É um número que impressiona e que se pode explicar por uma subida fortemente impulsionada e alavancada pelos aumentos dos preços dos imóveis nos concelhos das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.

A forte procura de imóveis para fins turísticos e, sobretudo, a procura acentuada por casas de gama alta, nomeadamente por parte de cidadãos estrangeiros, aliados ao reavivar do mercado interno ajudam a explicar esta valorização tão assinalável no nosso mercado imobiliário.

Relativamente ao aumento dos preços, o destaque vai para a cidade do Porto, que é, de longe, o concelho onde os preços mais cresceram a nível nacional.

O custo dos imóveis registou no terceiro trimestre de 2018 uma subida de 28,8% em relação ao mesmo período de 2017.

Usadas ou novas?

Das 178 mil casas vendidas em Portugal em 2018, quase todas são usadas. 

Os números do INE (Instituto Nacional de Estatística) mostram que este tipo de habitação teve um peso de 85,2% no ano passado, o correspondente a cerca de 152 mil casas transacionadas.

Por sua vez, as casas novas representaram apenas 14,8% do total das vendas, o que equivale a 26 mil habitações.

Assim, é fácil perceber que quem vende, vende a casa que tem, onde vive, ou onde já viveu alguém. A percentagem de casas novas vendidas é extremamente baixa, quando comparada com a percentagem de casas usadas.

Para além disto, é ainda importante sublinhar que os preços estão elevados.

O site Doutor Finanças tem agora uma ferramenta inovadora que permite calcular o lucro que pode obter com a venda do seu imóvel.

Portugal está na moda.

É hoje impossível desmentir e negar este facto.

A procura pelo nosso país não para de crescer, como não para de crescer também o número de estrangeiros que se mudam de malas e bagagens para Portugal.

Nós, aqui na MarkiClass, não podemos ficar indiferentes a este facto, nem ao aumento da procura na zona que nos diz respeito, o Parque das Nações.

Por isso, se está a pensar seriamente em vender a sua casa para se mudar para cá, ou se anda simplesmente à procura de casa por aqui, não espere mais e entre já em contacto connosco.

Se está a pensar em arrendar casa, tenha atenção a este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

gdpr-consentimento-digitalfc.: Pedido de Consentimento [GDPR]
Processamos dados, utilizando cookies no site (dados que ajudam os sites a lembrar-se de visitas anteriores) para melhorar a experiência do utilizador:
1. Ajudar os nossos serviços a fornecer conteúdo útil e personalizado;
2. Fornecer anúncios com base nos seus interesses;
3. Realizar análises e medições dos nossos serviços;
> Para mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a Política de Privacidade e Protecção de Dados Pessoais

Privacy Settings saved!
Configurações de Privacidade

When you visit any web site, it may store or retrieve information on your browser, mostly in the form of cookies. Control your personal Cookie Services here.

Decline all Services
Accept all Services